Diretores do DEP pedem demissão após suspeitas de fraude no órgão

Foto: Cristiane Hessel/Divulgação PMPA

Dois diretores do DEP (Departamento de Esgotos Pluviais) entregaram carta de demissão na tarde desta segunda-feira (11) após uma reportagem do jornal Zero Hora levantar suspeitas de fraude no órgão. Uma sindicância foi aberta para investigar o caso e, durante 30 dias o diretor-geral, Miguel Barreto, e diretor-adjunto, Francisco Mellos, ficarão afastados.

Segundo o jornal, a falta de fiscalização do órgão permitiu que uma empresa terceirizada, a JD Construções, supostamente fraudasse dados sobre o número de bocas de lobo limpas. “ZH” cita o caso da rua Barão de Teffé, no bairro Menino Deus, onde teria sido cobrada a manutenção 41 equipamentos de drenagem quando existem 14 no local e apenas 13 haviam sido limpos.

Curta a nossa nova página no Facebook
Siga no Twitter e receba todas as nossas atualizações

O custo a mais da fraude chegaria perto de R$ 1 milhão aos cofres da Prefeitura. A fraude também prejudicaria a cidade, atrapalhando a limpeza das bocas de lobo que existem.

Tanto a Polícia Civil quanto o Ministério Público de Contas instauraram processos para apurar as supostas irregularidades feitas pela JD Construções. Por determinação do prefeito José Fortunati (PDT), foi dado acesso a vários documentos do órgão aos investigadores na tentativa de facilitar a apuração da suposta fraude.

Publicidade