Temer avalia estragos e diz que Governo Federal vai ajudar na recuperação de Rolante

- Atualizado em 09/01/2017 às 15:16
Imagens aéreas da região afetada pela forte chuva em Rolante. Foto: Defesa Civil/Divulgação (Arquivo)

A Defesa Civil Estadual trabalha desde a última sexta-feira (6) para medir e amenizar os prejuízos causados pelas fortes chuvas, que assolaram o Estado no início do mês de janeiro. Na manhã desta segunda-feira (9), o presidente da República, Michel Temer, e o governador José Ivo Sartori sobrevoaram a região das cidades de Rolante e Riozinho, no Vale do Paranhana.

Na entrevista coletiva logo após a entrega de 61 ambulâncias para os municípios gaúchos, Temer disse que o Ministério da Integração se encarregará de tratar da situação imediatamente após ser decretada a situação de calamidade.

Segundo a Defesa Civil, a inundação tomou conta das ruas, atingindo 70% do município de Rolante, trazendo prejuízos e danos para a pecuária, a agricultura e a comunidade local. Cerca de 6 mil pessoas (2,4 mil famílias) foram desalojadas e recebem ajuda de voluntários, Corpo de Bombeiros, Brigada Militar, Corsan, Emater e entidades privadas.

O coordenador regional da Defesa Civil, major Alexsandro Goi, constatou que o município de Rolante, principalmente a área de Alto Rolante, foi bastante prejudicada pelos deslizamentos de terra que se depositaram no leito do Rio Mascarada. “As barreiras foram cedendo com a pressão da água, mas pela característica de ser muito ingrime, assim como as águas subiram de forma súbita também escoavam rapidamente”, afirmou.

A Defesa Civil avaliou os estragos econômicos e humanos e vai elaborar um plano de trabalho, que será apresentado para conseguir recursos para os municípios atingidos. “Já arrecadamos 150 colchões e 76 cestas básicas, mas continuamos recebendo doações privadas. Esse é um momento de restabelecimento e mensuração para que o município tenha homologado, junto aos governos estadual e federal, a situação de emergência’, salientou o major.

Deixe um comentário