Metalúrgicos demitidos bloqueiam BR e impedem circulação de ônibus em Rio Grande


Estaleiro Rio Grande, em 2013. Foto: Divulgação (Arquivo)

Metalúrgicos demitidos do Polo Naval de Rio Grande fazem, desde as primeiras horas da manhã desta segunda-feira (3), no Sul do Estado. Os trabalhadores pedem que a Petrobras não abandone os planos de construir a P-71 no Estaleiro da QGI Brasil.

A previsão é que os protestos se encerrassem às 15h, o que ainda não ocorreu.

Entre as manifestações, está o bloqueio total das garagens das empresas de ônibus Cotista e Noiva do Mar; a interrupção da operação das balsas entre Rio Grande e São José do Norte e o bloqueio da BR-392, em dois pontos. As categorias querem ajuda dos governos estadual e federal para a retomada da construção dos cascos das plataformas na região Sul do Estado.

O presidente do Stimmerg (Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Metalúrgicas e de Material Elétrico de Rio Grande e São José do Norte), Benito Gonçalves, disse ao jornal Diário Popular que o governo do Estado não tem interesse no Polo Naval. “Ligamos para assessoria do governador Satori e, pelo viva voz, ouvimos que o chefe do executivo estadual tem coisas mais importantes para se preocupar e que no máximo, poderia colocar um secretário para tratar o assunto.”

Conforme o dirigente sindical, se a P-71 for feita em Rio Grande, os custos seriam menores se madado para China e ainda empregaria 2,7 mil trabalhadores.

Sem transporte público

Nenhum ônibus das empresas responsáveis pelo transporte público urbano de passageiros em Rio Grande está circulando. As duas garagens foram bloqueadas pelos ex-trabalhadores do Polo Naval.

Publicidade


Deixe um comentário para este conteúdo

O Plantão RS não é responsável pelos comentários publicados pelos usuários