Operação conjunta remove lideranças criminosas do Presídio de Caxias do Sul

Foi deflagrada na manhã desta terça-feira (18), em Caxias do Sul, a Operação Fratelli II, que é uma operação integrada pela Polícia Civil, Brigada Militar e SUSEPE (Superintendência dos Serviços Penitenciários). Treze lideranças de uma organização criminosa de Presídio em Caxias do Sul foram transferidas para outras casas prisionais do Rio Grande do Sul.

A operação é resultado de uma investigação sobre uma conhecida organização criminosa atuante na região. Essa organização provém da grande Porto Alegre e difundiu-se em razão da interdição do PICS (Presídio Industrial de Caxias do Sul) desde de 2010, o que acarretou o ingresso de presos da Serra Gaúcha em presídios da grande Porto Alegre.

De acordo com o delegado Marcelo Grolli, a facção dominava vários bairros da cidade de Caxias do Sul e estava alojada na Galeria A da Penitenciária Estadual de Caxias do Sul. Apesar de operar na obscuridade, a presença da organização era sentida pelo grande número de homicídios nos anos de 2015 e 2016.

“Em outubro de 2016, após um confronto com a Brigada Militar do qual resultaram quatro bandidos mortos, a facção saiu da obscuridade e ameaçou retaliações contra policiais”, conta o delegado. Desde então, Polícia Civil, Ministério Público e Brigada Militar reuniram-se para instaurar uma investigação aprofundada sobre essa organização criminosa.

Foram carreadas inúmeras provas que permitiram o indiciamento de 28 integrantes da organização. Eles integravam um esquema que conseguia injetar até 1 quilo de droga por semana dentro da penitenciária.

Publicidade
Compartilhe