Governo do RS anuncia a construção de três novos presídios com 924 vagas

Nova central de triagem com 96 vagas para atender a Cadeia Pública de Porto Alegre deve ser concluída em 45 dias. Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratini

O Governo do RS confirmou, na manhã desta segunda-feira (12), a construção de três novos presídios com capacidade de 924 vagas. O anúncio das medidas para o sistema penitenciário gaúcho ocorreu após reunião do governador José Ivo Sartori com o secretário da Segurança Pública, Cezar Schimer, e prefeitos, em seu gabinete no Palácio Piratini. “Não podemos descansar e nem recuar. O enfrentamento da criminalidade precisa desse esforço diário, constante e concreto. Sempre disse que quando houvesse possibilidade financeira investiria imediatamente em segurança”, disse o governador.

Novos presídios

Sartori confirmou que o Presídio Federal de Segurança Máxima será construído em Charqueadas, pela União. O investimento é de R$ 40 milhões. A unidade terá capacidade para 208 apenados, de alta periculosidade e será instalado a cerca de 100 metros da Penitenciária Modulada Estadual de Charqueadas, em área do município de 25 hectares, próximo a RS-401.

O governador anunciou também a construção do Presídio Estadual de Viamão, que será construído em uma área de 10 hectares da Fepagro (Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária). Terá capacidade para 430 lugares e custará R$ 24 milhões. Os recursos são federais e já estão depositados nos cofres do Estado.

O terceiro será o Presídio Estadual de Alegrete, que está em processo de licitação. O investimento é de R$ 16,5 milhões, R$ 3,3 milhões do Estado e R$ 12,9 milhões da União. Com capacidade para 286 apenados, a unidade será instalada em uma área de 10 hectares, próximo ao posto da Polícia Rodoviária Federal.

Centro de Triagem

Sartori afirmou que entre 45 e 60 dias será aberto o segundo Centro de Triagem, com capacidade para 96 detidos, ao custo de R$ 2,9 milhões, com recursos do Governo do RS. O centro será construído em uma área anexa à Cadeia Pública de Porto Alegre, a partir do método construtivo ‘monobloco’, mesma técnica aplicada no Presídio Estadual de Canoas.

Previsão

O governador adiantou que ocorrem avanços no segundo semestre, que devem ser formalizados nos próximos dias. Segundo ele, a unidade a ser construída em Bento Gonçalves “servirá de modelo para outras permutas por construção de presídios. A Região Metropolitana receberá mais um presídio com cerca de 400 vagas também com permuta”.

Sobre a Penitenciária Estadual de Canoas, mais uma galeria com cerca de 150 vagas deve ser aberta em 60 dias, que teve seu sistema de esgoto concluído pela Corsan (Companhia Riograndense de Saneamento).

O governador afirmou que “até o final deste ano 4 mil novos profissionais terão ingressado na área da Segurança Pública no Estado. Nenhum município do interior ficará descoberto neste processo”.

Deixe um comentário para este conteúdo

O Agora no RS não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários realizados pelos usuários. O veículo pode, a qualquer tempo, moderar, excluir ou banir qualquer conteúdo publicado por estes em qualquer seção do site ou de suas páginas na rede social Facebook.