Corpos encontrados esquartejados em Novo Hamburgo são de crianças


O IGP (Instituto-Geral de Perícias) já apontou que os corpos encontrados esquartejados dentro de sacos plásticos na última segunda-feira (4), em Novo Hamburgo, no Vale do Sinos, são de crianças. Os cadáveres foram localizados na rua Porto das Tranqueiras, no bairro Lomba Grande, em um ponto cujo morador mais próximo fica a 700 metros.

De acordo com a DPHPP (Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa) de Novo Hamburgo, os cadáveres localizados seriam de um menino e uma menina com idades entre 8 e 12 anos. Os sacos com os corpos estavam dentro de caixas de uma marca de sabão em pó de Pernambuco e que não é vendida no Rio Grande do Sul.

No momento em que os cadáveres foram encontrados, policiais acreditavam que se tratavam de uma mulher e um menino, suposição negada pela perícia, que conseguiu coletar as digitais das vítimas mesmo faltando partes dos corpos. A identificação não teve sucesso, pois são crianças, que podem não ter registro de digitais no banco de dados.

Segundo a Polícia Civil, o IGP enviou as impressões digitais coletadas para outros estados, pois a suspeita é que as crianças não possuam RG ou sequer sejam gaúchas, já que não constam nos bancos de dados do Rio Grande do Sul.

Os cadáveres da menina e do menino estavam incompletos, sem cabeça, e desnudos, e ele ainda não tinha um dos braços. A Polícia Civil segue investigando o caso e trabalha com a hipótese de que as vítimas sequer teriam sido mortas no Rio Grande do Sul. A apuração fica prejudicada, pois os corpos foram localizados em um local remoto e sem pistas. A identificação das vítimas é essencial para o prosseguimento da investigação.

Deixe um comentário para este conteúdo