Forte terremoto atinge o México e deixa mais de 100 mortos

Vários prédios desabaram por causa do sismo no México. Crédito: Reprodução/ForoTV/Televisa

Um forte terremoto de magnitude 7,1 atingiu a região central do México nesta terça-feira (19), e deixa ao menos 105 mortos. A informação foi divulgada às 19h57, logo após a publicação desta reportagem. Sismo ocorreu exatos 32 anos depois do devastador terremoto de 19.set.1985, que deixou mais de 10 mil mortos no país e destruiu a capital, Cidade do México.

O epicentro do terremoto desta terça-feira estava localizado a nordeste de Raboso, no estado de Puebla, no centro do país informou o Serviço Geológico dos Estados Unidos. O tremor de 7,1 de magnitude na Escala Richter ocorreu às 13h04min locais, 16h04min pelo horário de Brasília.

O tremor ocorreu a 123 quilômetros da capital mexicana e assustou muitas pessoas. Várias construções da cidade tiveram danos parciais e um número muito menor, porém, desabou. No Estado de Morelos, há pelo menos 54 mortos; em Puebla, onde ocorreu o tremor, foram 13 mortes; e em Estado do México, ao menos oito morreram.

Na Capital, são pelo menos 30 vítimas. Ao menos 44 prédios caíram parcialmente ou totalmente.

Imagens da ForoTV, do grupo Televisa, mostravam um prédio de diversos andares na capital com o quatro andar colapsado, mas todo o restante da construção de pé. Outro vídeo exibido pela emissora mostrava a lateral de um prédio do governo se soltando e caindo na rua, enquanto várias pessoas tentavam se proteger.

Tremor ocorre 32 anos após sismo catastrófico

O terremoto aconteceu horas após muitas pessoas participarem de exercícios de terremotos pelo país no aniversário do devastador terremoto que matou milhares na Cidade do México em 1985. Naquele dia, milhares de edifícios, entre eles o Hospital Geral e o da rede de TV Televisa, vieram abaixo.

Apesar de estar distante do epicentro do tremor, assim como em 1985, a Cidade do México sentiu em cheio o abalo. Isso ocorre porque a cidade foi construída sobre um lago, situação que amplifica os abalos sísmicos.

Deixe um comentário para este conteúdo

O Agora no RS não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários realizados pelos usuários. O veículo pode, a qualquer tempo, moderar, excluir ou banir qualquer conteúdo publicado por estes em qualquer seção do site ou de suas páginas na rede social Facebook.