Black Friday: confira 6 dicas essenciais para comprar na edição de 2017

Todo ano é a mesma coisa. Milhões de brasileiros esperam a última sexta-feira de novembro para comprar aquele objeto de desejo. É também o momento em que muitos adquirem bens dos quais necessitavam, mas aguardavam pelos preços da Black Friday, esperando levar pelo melhor valor e economizar.

Os lojistas sabem disso, e alguns se aproveitam para faturar em cima da ansiedade dos consumidores. Daniel Bender, diretor comercial da rede 1001 Cupom de Descontos e especialista em e-commerce, relacionou algumas dicas e cuidados para quem pretende fazer compras na Black Friday 2017.

Dica #1: evite comprar por impulso

Segundo Daniel, este é pior erro de todos. Dados do Google informam que uma entre cada seis pessoas que compraram no Black Friday 2016 o fez apenas porque o desconto do produto era muito grande. Em muitos casos essas pessoas compraram o que não precisavam, com um dinheiro que, talvez, falte em outra coisa.

Antes de efetuar uma compra, diz o especialista, tenha certeza de que você precisa daquele produto, para que depois você não tenha que devolver e esperar um estorno no seu cartão de crédito, gerando um desgaste desnecessário. “Uma dica saudável é reservar um valor para compras de oportunidade. Pode ser R$ 100, R$ 200 ou o que a pessoa puder ‘torrar’ em algo que não necessariamente precisa”, sugere o especialista.

Dica #2: não caia nas pegadinhas das lojas

“Lojistas naturalmente vão testar os limites da criatividade para incentivar uma compra”, alerta. “A diferença entre uma pegadinha e uma promoção realista normalmente é a extensão ou frequência dela no site”.

Um bom exemplo de pegadinha, conforme o especialista, são aqueles contadores regressivos de tempo alertando que determinada promoção vai expirar em tantos minutos. “Caso todos os produtos da loja possuam o mesmo contador ou a contagem se reinicia toda a vez que você entra no site, provavelmente trata-se de uma promoção fictícia.”

Outra pegadinha popular é marcar um preço “De: tanto Por: bem menos”. Daniel alerta que a forma de identificar a pegadinha é parecida. “Se todos ou quase todos os produtos, inclusive lançamentos, estão em promoção, é porque, provavelmente, nada está em promoção de fato.”

Dica #3: pesquise cupom de desconto

É comum que lojas online emitam cupons de desconto. Em sites como o 1001 Cupom de Descontos você acha cupons com até 25% de desconto para uma infinidade de lojas. O cliente que opta por não pesquisar por cupons, às vezes perde um desconto extra que estava disponível.

“Um benefício extra de buscar cupom de desconto é que o gestor do site já filtra as lojas confiáveis normalmente, pois apenas lojas estabelecidas, com CNPJ e clientes reais anuncia em sites de cupons ”, informa.

Os consumidores que compram produtos e serviços com antecedência via internet conseguem economizar até 80% utilizando cupons de descontos oferecidos pelas lojas através do site.

Dica #4: não compre em uma loja desconhecida

“Na Black Friday os consumidores são impactados com muitas ofertas incríveis, muitas vezes de lojas desconhecidas”, diz Daniel. Ele sugere que o comprador verifique se a mesma possui algum cadastro em sites de reputação, como o Ebit, Site Blindado, ReclameAqui ou mesmo presença em redes sociais e em sites de cupom de desconto.

“Tome cuidado também para apenas comprar em lojas seguras com certificado SSL (que deixam o seu navegador verde) e que tenham um histórico na internet. Lojas muito novas ou desconhecidas tem alta chance de serem armadilhas”.

Dica #5: acompanhe o preço do produto

É sabido que na Black Friday muitos lojistas aproveitam para queimar seu estoque velho com grandes descontos sem se incomodar com as políticas do fabricante. Às vezes é uma ótima oportunidade para comprar algo, noutras trata-se apenas de uma oferta requentada.

“Hoje em dia não é preciso ser um expert na categoria nem ter uma memória de elefante, pois existem ferramentas para acompanhar a evolução dos preços dos produtos, como o Assistente de Compras do Tecnoblog, que é parceiro nosso”, avisa Daniel.

Resumo da dica: comece a pesquisar seus produtos em diversos sites para que você saiba o valor correto e justo a pagar no dia do Black Friday.

Dica #6: teste seu cartão de crédito antes

Alguns compradores deixam para iniciar o uso de um novo cartão de crédito exatamente no dia do Black Friday e têm muitas compras bloqueadas. O motivo disso, segundo o especialista, é que as lojas usam sistemas sofisticados para barrar fraudes e um dos indicadores mais importante é o histórico de compras.

“Em um dia normal, os lojistas analisam com todo o carinho as transações que entram. Porém na Black Friday esse processo pode ficar mais embolado, com isso muitas lojas cancelam compras realizadas por clientes que não tem o cadastro perfeito”, avisa.

Se você está pensando em comprar um item de valor alto, como um TV ou geladeira, Daniel sugere que faça uma ou duas compras antes da Black Friday, ainda que em valor menor, para que haja em seu histórico algumas operações bem-sucedidas. Outro ponto é solicitar um aumento de limite caso ele seja baixo para aproveitar a Black Friday sem o risco de ter a compra não autorizada.

Deixe um comentário para este conteúdo

O Agora no RS não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários realizados pelos usuários. O veículo pode, a qualquer tempo, moderar, excluir ou banir qualquer conteúdo publicado por estes em qualquer seção do site ou de suas páginas na rede social Facebook.