Promotores iniciaram trabalhos para investigar gestão de Vitorio Piffero

Vitorio Piffero quando foi eleito presidente do Inter, gestão 2015-2016. (Foto: Vitor de Arruda Pereira/Especial)

O Ministério Público vai investigar se houve algum tipo de fraude envolvendo as finanças do Inter durante a gestão do ex-presidente Vitorio Piffero. Em abril deste ano, o Conselho Fiscal apontou “falhas graves nos controles internos” e atrasos no pagamento de obrigações do Profut (Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro) e sugeriu a reprovação das contas, ainda que as demonstrações contábeis tenham sido aprovadas.

O caso está a cargo de dois promotores de justiça ligados ao GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado). Eles começaram a investigar a contratação de empresas de construção civil durante o período, as quais teriam recebido mais de 9 milhões de reais sem que os auditores ou os conselheiros tenham encontrado obras compatíveis com tais investimentos.

Segundo o jornal Correio do Povo, os responsáveis pelas empresas de construção civil que emitiram as notas fiscais já foram chamados e deram depoimentos, acompanhados por advogados. Os dirigentes da época, especialmente Piffero, também deverão ser chamados, mas na fase final de investigação.

Deixe um comentário para este conteúdo

O Agora no RS não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários realizados pelos usuários. O veículo pode, a qualquer tempo, moderar, excluir ou banir qualquer conteúdo publicado por estes em qualquer seção do site ou de suas páginas na rede social Facebook.